Quando a nossa fé se torna “adulta”

Quando eu conheci Jesus, de ouvir falar apenas, eu era criança e foi assim até os meus 14 anos. Eu frequentei a catequese, fiz perseverança, mas continuava a conhecer Jesus só de ouvir falar. Na missa, ia pra fila da comunhão, depois me ajoelhava porque todo mundo ajoelhava e nada demais. Foi então que por volta dos meus 14-15 anos, há 20 anos atrás, fui convidada para um grupo de oração de uma comunidade católica chamada Novo Maná e eis que minha vida deu um giro de 360°, a famosa Metanóia, ou seja uma mudança de vida começou a acontecer na minha vida, pois naquele dia eu tive o meu encontro pessoal com Jesus, naquele momento era o início de uma nova Priscila, era o início de uma fé nova. Uma fé que foi a base para tudo o que eu vivi, mas o ponto que eu quero chegar é aonde essa fé me levou.

A FÉ PROVADA NA DOR TORNA-SE FECUNDA E MUITO MAIS CONSCIENTE

Vejo como Deus, vai nos moldando, nos modelando como um barro nas mãos do oleiro, durante a nossa caminhada com Ele. Na verdade isso acontece quando permitimos, quando damos abertura ao Espírito Santo para fazer essa obra em nós. Os meus primeiros anos de conversão foi maravilhoso, pois eu provei do amor ardente do Senhor, eu vivi o primeiro amor com Deus, era só eu e o Senhor, lembro que nos meus cadernos de escola eu fazia um coração e no lugar de escrever Priscila e o nome de algum menino, eu escrevia Jesus e eu (risos). E eu tinha apenas 14 anos. Mas foi aos 28, quando eu passei pela pior dor da minha vida, que foi quando sofri a dor da rejeição, do abandono, da traição, da separação, que eu pude experimentar a Deus e viver experiências que eu jamais conheceria se não fosse nesses momentos de angústia profunda.

A fé madura é resultado de uma fé provada, a fé madura vem quando passamos pelo torno do oleiro, a fé madura vem quando esse vaso é posto em altas temperaturas e ele não pode trincar, se trincar vai voltar de novo para as mãos do oleiro. E será quebrado, feito de novo. Mas que bom que é assim, pois temos sempre a oportunidade de sermos refeitos. Minha amiga, quando você estiver nesses momentos, deixe-se ser moldada, viva essa experiência com o Espirito Santo. Aproveite para buscar mais, aprender mais, ler mais. Se aproxime e deixe Ele fazer a obra na sua vida. Nessa hora também é a chance que temos de Deus nos revelar onde temos errado, o que precisa ser mudado, é um momento propício ao arrependimento.

Antes, quando ainda me alimentava de “leite materno”, eu só queria frequentar igrejas onde a pregação fosse avivada, onde tivesse o melhor ministério de música e de preferência que cantassem os louvores que “eu” gostasse, se a pregação fosse fraca eu reclamava, se o louvor fosse chato eu reclamava. Achava que somente naquele retiro, ou naquele encontro eu iria ficar cheia do Espírito Santo. Pra mim todos deveriam ser carismáticos, se não fossem, eles não conheciam Jesus (ainda bem que Jesus teve misericórdia de mim rs), eu era uma pessoa totalmente julgadora, mas hoje eu vejo que era uma fé imatura, não fazia por mal, mas porque meu coração doía quando eu via nas pessoas a falta de interesse em conhecer intimamente a Jesus, a aridez, a sequidão, o desprezo que os alguns católicos tinham e tem pela Eucaristia (na verdade isso me incomoda até hoje, meu coração fica apertado quando no momento da consagração da hóstia as pessoas não se ajoelham em reverencia ao Senhor Jesus que se entrega em cada Missa por amor a nós).

Mas o nosso olhar de repente é transformado

Passamos a perceber o amadurecimento da nossa fé quando servimos a Deus sem esperar nada em troca, quando servimos somente por amor a Ele e porque o amamos de tal forma que esse amor se estende a também servir aos outros. O amadurecimento da nossa fé é percebido quando vamos a igreja não para fazer parte de um clube social, mas porque sabemos que precisamos nos alimentar da palavra e da presença do Senhor. Nossa fé se torna madura quando tomamos a consciência de que somos servos e não trabalhadores de uma empresa, servimos por amor e não por obrigação ou por status. A nossa fé se torna madura quando temos total consciência de quem somos em Deus, somos filhas e como filhas o nosso Pai vai cuidar de cada uma das nossas necessidades, porque Ele nos ama e eu não tem o porque desesperar. A fé madura é aquela que mesmo quando estamos em tempos de sequidão espiritual, sabe aquele tempo em que não sentimos nada pelas coisas de Deus? Não temos vontade de rezar, nem de ler a bíblia, não sentimos nenhuma emoção em nenhuma pregação, mas mesmo assim continuamos crendo, amando, servindo.

O meu desejo é que um dia as pessoas possam ver Cristo em mim. Na forma como eu trato as pessoas, na minha maneira de falar, no meu tardar para julgar, mas antes procurar entender, afinal de contas Deus não nos constituiu juízes uns dos outros não é verdade. Lembro sempre de Jesus quando ele diz que precisamos amar uns aos outros e maneira como amamos é que seremos reconhecidos como seus discípulos. Hoje eu vejo que o maior desafio não é não pecar, mas o maior desafio é o de amar. Amar o outro como a mim mesmo. Amar desinteressadamente. Amar mesmo quando for difícil. Amar a ponto de abrir mão da minha vontade, do meu comodismo, dos meus pré-julgamentos. Que esse também possa ser o seu desejo minha querida irmã.

Eu não sei em qual fase de fé você se encontra, todas elas são importantes, mas que juntas possamos buscar alcançar a fé verdadeira. Hoje eu vejo como a mensagem do evangelho é tão lógica, simples e ao mesmo tempo desafiadora. Termino esse post com a frase de São Paulo onde ele diz assim:

“Não que eu já tenha recebido tudo isso, ou já me tenha tornado perfeito. Mas continuo correndo para alcança-lo, visto que eu mesmo fui alcançado por Cristo Jesus.” (Filipenses 3,12)

Ainda estou tão longe disso, mas como Paulo, sigo para o alvo!

Com amor,

Priscila.

 

4 comentários sobre “Quando a nossa fé se torna “adulta”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s